Como tudo começou

DSC_0071

Costurando os slings com uma ajuda especial

A que nasceu em Alagoas, autodidata na máquina de costura, levou a vida parindo seus seis filhos em casa, amamentando longamente e, ensinando todos a verem o lado bom de todas as coisas da vida, dando café preto escondido pros netos, fazendo frango grudadinho, torta de banana, creme de leite com açúcar e costurando chinelos para seus netos. Era minha avó paterna, Maria Anunciada da Graça.

O que nasceu em São Paulo, virou modelista e cortador de tecidos de profissão, especialista em corte de tecidos finos.Para os netos, fez roupas, vestidos, cortinas, colchas, mas também assentou azulejos, levantou paredes de alvenaria, construiu patinetes, invenções, os ensinou a comer banana, alho, leite puro aquecido no sol, a  fazer bem uma barba com navalha, carregou-os no colo, no carro, na bicicleta, deixava puxar os pelos do peito dele e muito mais coisas bacanas que todo avô deveria ensinar. Meu avô materno, Hércules Domingues Cainé.

Um dia esta avó se foi e, anos depois, este avô também. E ficou aqui em casa uma máquina de costura de herança deste modelista.

Seguindo meus instintos, intuição e memória em vê-los cortar os tecidos e costurar, surgiu a vontade de fazer o mesmo com esta máquina um pouquinho mais nova que eu.

E, assim, costurando carregadores de bebês para que mais crianças possam crescer mais perto dos seus, recebendo o colo que eu recebi mesmo quando os slings ainda não existiam por aqui…

E me realizei fazendo-os artesanalmente, e cada estampa em combinações exclusivas.

Se quiser conhecer mais esse meu trabalho, clique aqui.